Movidos pelo Espírito Santo

Texto Áureo: “E em toda a alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos.” At. 2:43

       Não foi apenas a igreja que percebeu a mudança de comportamento naqueles que receberam o derramamento do Espírito Santo no dia de Pentecostes e nos outros crentes, que também foram batizados no mesmo Espírito posteriormente, até os de fora também notaram que algo de diferente estava acontecendo com aqueles irmãos. Alguns discípulos que eram mais impulsivos passaram a agir com mais comedimentos, porém firmes e espirituais, e o outros que eram mais passivos passaram a agir com muita coragem e ousadia, e todos notavam que as ações deles, na verdade, não vinham deles mesmos, mas que eles estavam sendo movidos pelo Espírito Santo.

 

1. Comente a história do primeiro mártir da era pentecostal. At. 6:8-10.

 Estude também o cap. 6,7,8.

Essa história nos faz pensar: Quem eu sou e o que estou fazendo para o bem da obra de Deus? Será importante se toda a igreja             pensar assim, pois creio que muitos, por meio de comparação, vão desejar mudar completamente sua forma de viver.

Estevão era um homem de boa reputação, cheio de fé e do poder do Espírito Santo e de sabedoria que recebeu uma importante           missão dos apóstolos pela imposição das mãos e fazia prodígios e grandes sinais entre os povos.

 

2. Que disse Estevão, movido pelo Espírito, que enfureceu o povo? At.7:51-60

A mensagem era dura, porém verdadeira. Hoje a nossa igreja prega a mesma doutrina. Compare o texto e veja! Estevão reclamava que aqueles homens eram desobedientes, tinham o coração duro, não aceitavam o Espírito Santo, perseguiam e matavam os líderes da igreja só porque anunciavam a vinda de Jesus. Tinham conhecimento da lei de Deus, mas não guardavam. O povo, que talvez achasse que aquela mensagem tinha sido cravada na cruz, movido pelo maligno, se enfureceu, rangeu os dentes de tanto ódio. Ninguém percebia que ele falava orientado pelo Espírito Santo e que o poder era tão grande que ele viu a glória de Deus e Jesus em pé a direita do Pai. O povo arremeteu unânime contra ele e o expulsou da cidade e ele foi apedrejado e morto; é o preço de quem se habilita a pregar a verdade.

 

3. Como foi a ação de Filipe de Samaria? At. 8:5-8

Filipe chegou muito preparado em Samaria e o povo notou isso e ficou alegre, porque ouvia e via os sinais que ele fazia. Quando pregamos ou ensinamos a palavra de Deus com um bom preparo prévio, o resultado é sempre maravilhoso. Prepara-te, ó Israel!

 

4. Quem ainda não tinha se convertido mas também fazia alguns prodígios? At. 8:9-13

Veja que Simão não era batizado nem tinha do Espírito Santo, mas com a magia iludia o povo a ponto de muitos acharem que ele era a grande virtude de Deus. E ele dizia e realmente gostava de ser tratado como uma pessoa importante. Isso acontece hoje também. Muitas pessoas despreparadas estão valorizando feitos mirabolantes praticados por pessoas aparentemente espirituais, porém sabemos que não são da parte do Senhor Jesus. Cuidado, igreja! Provai se o espírito é ou não de Deus.

 

5. O que aconteceu em Samaria com a chegada de Pedro e João? At. 8:14-17

A igreja de Samaria era boa. Os crentes já tinham sido batizados nas águas. Foi realizada uma campanha de oração para que eles também fossem batizados com o Espírito Santo. Que tal fazermos essa campanha nos dias de hoje também? Veja que quando Pedro e João impuseram as suas mãos, o Espírito Santo caiu na igreja toda e a gente imagina que a glória de Deus tomou conta daquele povo. Aleluia! Glória a Deus!

 

6. Comente a intenção do mágico Simão que foi rebatida por Pedro. At. 8:18-23

Assim como Simão, muitos crentes de hoje querem receber a virtude de Deus apenas para obter fama e glória pessoal.A igreja precisa discernir e banir esses atos oportunistas do seu meio, porém nunca deve coibir a busca do poder de Deus só porque existem esses tipos de pessoas. Veja que Pedro repreendeu a atitude do mágico, mas não extinguiu a busca do Espírito Santo.

7. Fale das ações movidas pelo Espírito no encontro de Filipe com o eunuco. At. 8:26,27, 29 e 39

Quem é movido pelo Espírito recebe orientações do que fazer e como fazer a todos os momentos. No caso de Filipe, primeiro lhe apareceu um anjo dizendo-lhe para onde ir e depois o Espírito Santo lhe ordenou a se juntar a uma carruagem que passava. Ele então pregou para o passageiro que creu. E quando ele acabou de batizar o eunuco, o Espírito Santo o arrebatou e o levou para outro lugar. Se o crente de hoje tiver esse propósito: primeiro de ser batizado com o Espírito Santo e depois de ser um instrumento para ganhar almas, é lógico que Deus enviará anjos e o Seu Espírito para lhe guiar e orientar os seus servos a todo tempo.